Close Window

Uma localização subtropical, moderada pelo oceano em três flancos do país e a altitude do planalto interior são os factores responsáveis pela temperaturas quentes tão típicas da África do Sul – e de que os estrangeiros que nos visitam muito gostam.

A África do Sul é famosa pelo seu sol. É um país relativamente seco, com uma queda de chuva média anual de cerca de 464 mm (comparado com a média mundial de cerca de 860 mm). O Cabo Ocidental é a parte mais chuvosa durante o Inverno, mas o resto do país é geralmente uma região com chuvas no Verão.

Por outro lado, as temperaturas tendem a ser mais baixas do que em outros países em idênticas latitudes – é o caso da Austrália, por exemplo – devido sobretudo a uma altitude maior relativamente ao nível do mar.

No planalto interior a altitude – Joanesburgo está situada a 1.694 metros – mantém as temperaturas médias de verão abaixo dos 30ºC. No Inverno, pela mesma razão, as temperaturas nocturnas podem descer quase a zero e em alguns sítios mais do que isso.

As regiões costeiras são por isso as mais quentes durante o Inverno. Existe, no entanto, um contraste grande entre as temperaturas na costa leste e oeste, devida respectivamente às correntes quentes das Agulhas e frias de Benguela que varrem as costas.

Como estamos no hemisfério sul, as nossas estações são ao contrário das da Europa e América do Norte, por isso, sim, é verdade – passamos o Natal na praia!

Verão

Em quase toda a África do Sul, o Verão (meados de Outubro a meados de Fevereiro) caracteriza-se por tempo soalheiro e quente – com muitas trovoadas durante a tarde que rapidamente desaparecem, deixando um cheiro quente a terra, como só em África existe.

O Cabo Ocidental, com o seu clima mediterrânico, é a excepção, com as suas chuvas habituais no Inverno.

Outono

O Outono na África do Sul (meados de Fevereiro a Abril) é, de certo modo, a melhor época do ano. Com muito pouca chuva em todo o país e fazendo calor mas não demasiado, vai arrefecendo à medida que a estação avança.

Na Cidade do Cabo, o Outono é fantástico, com dias cheios de sol e quentes, com noites aprazíveis que leva muita gente às esplanadas.

Inverno

O Inverno na África do Sul (Maio a Julho) caracteriza-se nas áreas mais altas do planalto interior por dias secos, com sol, com um pouco de vento, e noites frias. Por isso, se vier nesta altura, é melhor trazer roupas quentes.

A costa quente e húmida de KwaZulu-Natal, assim como as províncias de Lowveld (zonas mais baixas) de Mpumalanga e Limpopo, têm um Inverno fantástico, com dias muito amenos de sol e nem uma ponta de vento ou chuva.

No Cabo Ocidental a maior parte da chuva vem no Inverno, com muitos poucos dias nublados e chuvosos. Mas são sempre intercalados com dias maravilhosos para rivalizarem com o famoso Verão inglês.

Nas montanhas altas do Cabo e de Drakensberg, em KwaZulu-Natal, por vezes neva no Inverno.

Primavera

Em nenhuma outra parte da África do Sul (Agosto a meados de Outubro) é a Primavera tão espectacular como nas províncias do Cabo. Aqui, esquece-se o Inverno cinzento quando milhares de plantas pequenas, tantas delas insignificantes, começam a atapetar as planícies com flores.

A viagem para observar as flores de Namaqualand no Cabo Ocidental e no Cabo Norte é para muitos Sul Africanos uma autêntica peregrinação anual.

Qual a melhor época para viajar?

Depende do que quer fazer. Para as flores a melhor época é obviamente Agosto e Setembro. Para ver caça grossa é no final da Primavera (Setembro e Outubro). As baleias franco austrais nadam pelas nossas costas entre mais ou menos meados de Junho até finais de Outubro.

O mergulho é melhor na maior parte do país fora do Verão (ou seja, desde Abril até finais de Setembro), o mesmo acontecendo com o surf – mas claro que isso não limita qualquer uma das actividades nas outras épocas do ano.

O rafting é melhor no Cabo no fim do Inverno e em KwaZulu-Natal no pino do Verão (fim de Novembro a meados de Fevereiro). Em Mpumalanga e Limpopo não está tão dependente do tempo.

As estações de transição – Primavera e Outono – são as melhores para fazer excursões a pé porque pode estar mais calor em quase todo o país. Em Drakensberg, as trovoadas de verão são perigosas e no Inverno há boas possibilidades de nevar. No Cabo, os Invernos são húmidos e daí que caminhar ou fazer excursões possa ser um pouco difícil.

Se é um observador de aves, as aves migratórias paleárticas chegam por volta de Novembro e as migratórias intra-africanas vêm normalmente em meados de Outubro.

Claro que se a sua intenção for ficar perto das praias, a meio do Verão é a melhor altura – apesar de que, em vez de lá ficar sozinho, vai ter toda a gente à sua volta. E – grande bónus – as praias a norte, em KwaZulu-Natal são quentes e solarengas mesmo a meio do Inverno.

Repórter infoSA, incorporando material de Turismo Sul Africano